Série é vista como cinema em Veneza

As séries estão cada vez mais questionadoras.

Pense por um instante, por exemplo, que um novo Papa é eleito.

Ele é jovem, bonito e americano.

Além disso, em seu primeiro discurso, apoia o casamento gay, masturbação, aborto e sexo por prazer e não para fins de procriação.

Consegue imaginar essa cena? Dificil, né?

Agora pense em um Papa que não gosta de ser fotografado, briga com os fiéis e diz que todos devem total servidão a Deus. Assim fica mais fácil?

Vamos aos fatos: Esses dois Papas existem e são aspectos da personalidade da mesma pessoa!

Com um personagem protagonista complexo, esse é o tem da nova série da HBO estrelada por Jude Law: “The Young Pope”, (o jovem Papa, em tradução livre).

A produção teve seus dois primeiros episódios exibidos no Festival de Cinema de Veneza.

A exibição dá a ideia de o quanto as séries têm ganhado investimentos equivalente a grandes produções cinematográficas.

Após a exibição do primeiro episódio, o diretor Paolo Sorretino foi questionado se a Igreja Católica irá receber mal a série.

“Isso é um problema do Vaticano”, disse ele, para em seguida emendar: “Na verdade, não é um problema: se eles assistirem até o fim verão que não há vontade nenhuma de mostrar intolerância , mas apenas de investigar as contradições e dificuldades por que passam padres, freiras e o próprio Papa”.

A série terá dez episódios e estreia em outubro em cinco países, mas o Brasil ainda não está na lista…

Será que a série será tão boa de audiência quanto promete de polêmica?