‘Boys’, filme holandês de temática gay, estreia neste fim de semana

Estreia neste fim de semana nas salas de cinema de todo o país a produção holandesa ‘Boys’.

O filme, sobre a descoberta da homossexualidade, narra a descoberta do amor entre dois jovens atletas.

Sieger (Gijs Blom), de 15 anos, está em fase de treinamento para uma competição de revezamento. A rotina é alterada pela chegada de um novo membro da equipe, Marc (Ko Zandvliet). Os dois descobrem interesses em comum e se tornam amigos próximos, até perceberem que possuem sentimentos um pelo outro. Sieger tenta esconder a sua atração, mas logo descobre que seu amor é grande demais para ficar em segredo.

jongens_boys

Os atores holandeses Gijs Blom e Ko Zandvliet em cena do filme ‘Boys’, estreia deste fim de semana nos cinemas brasileiros – Divulgação

Robledo Milani, crítico do site papodecinema.com, escreveu que “poucos são os filmes voltados à temáticas de cunho homossexual preocupados em entregar um obra ao mesmo tempo relevante cinematograficamente e envolvente ao seu público de forma leve e positiva, deixando de lado a questão ativista para se focar em um produto que funcione tanto como entretenimento quanto como exemplo de postura.”

Para Milani, Jongens (ou Boys, no título internacional, tradução direta do Garotos original) é um destes casos.

“Temos aqui uma jornada de descobertas e aceitação, mas assim como tantos similares estrelados por personagens heterossexuais, o resultado aqui aproxima-se mais de um idílico ‘final feliz’ e menos do comumente trágico que por tanto tempo foi também caminho de alerta e chamada de atenção. Os tempos, ao menos para alguns, são outros. Felizmente”, concluiu o crítico.

Veja o trailer:

5 thoughts on “‘Boys’, filme holandês de temática gay, estreia neste fim de semana”

  1. Luis says:

    Gostei.

  2. Marcio De Almeida says:

    Gostei muito! Bons atores, lindo Cenario. Lindo Final

  3. Chandy says:

    O final foi legal mais poderia ser melhor

  4. Jean dos Santos Teixeira says:

    Um filme muito envolvente e além de tudo bonito. (É impossível assistir a uma obra tão grandiosa com pessoas preconceituosas, digo, pessoas que descrevem o “homossexual” como bichas ou algo deste tipo. No meu conceito, bicho ou bicha não é atributo para qualificar e associar a grandeza do ser humano.
    Mesmo eu sendo evangélico, acredito que todos possuem sentimentos e amar a uma pessoa do mesmo sexo não é doença. É preciso parar com esse paradigma de que apenas o heterossexual reinará o rei dos céus.
    O teatro me ensinou a ter amor pelo próximo, bondade, solidariedade e além de tudo, colocar-me no lugar de cada um.
    Ser cristão também não impossibilita a pessoa de ser humana e aceitar as diferenças. Como ter amor a Deus senão amamos e aceitamos a diferença do próximo? Eu aceito, sou humano, sou ator e amante da vida.

    Jean dos Santos Teixeira Pereira
    Facebook: jean.ofuturo@gmail.com

  5. PAULO says:

    Gostei bastante do filme. Apesar de feliz (algo desejado por todos nós), o final foi meio insípido. Daria margem à uma continuação….!

Deixe uma resposta para Chandy Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *