RJ: ‘Oito mulheres’, de Robert Thomas, estreia no Teatro Dulcina

É véspera de Natal nos anos 50. Oito mulheres, surpreendidas pela morte misteriosa do único homem da família, tentam conviver em uma mansão isolada por uma nevasca no interior da França. Essas mulheres – esposa, filhas, irmã, sogra, cunhada, governanta e camareira – sem poder sair da casa, iniciam uma investigação para desmascarar o assassinato. Todas são suspeitas.

Na peça, as mulheres tentam desvendar a morte do único homem da família – Divulgação/Fabulanas

É em torno dessa trama que se desenvolve o espetáculo “Oito mulheres”, que estreia no próximo dia 12 no Teatro Dulcina, no Centro do Rio de Janeiro. O texto é do dramaturgo francês Robert Thomas e foi escrito entre os anos de 1958 e 1959. Encenada pela primeira vez em 1961, na França, a peça “Huit femmes”, título original, é uma comédia policial de três atos que foi adaptada duas vezes para o cinema, em 1960 e em 2002. No Brasil a peça foi encenada pela primeira vez no Rio de Janeiro, em 1962, no Teatro Dulcina, tendo a própria Dulcina de Moraes no elenco.

Na montagem atual quem assina a direção artística é a russa Elena Gaissionok. A direção respeita a estrutura linear do texto de Robert Thomas, mantendo-a igualmente organizada em três atos, com um intervalo após o fim do primeiro ato. A proposta foi evidenciar as relações que se estabelecem entre todas as personagens, no âmbito do núcleo familiar, e potencializar a humanidade complexa de cada uma das oito mulheres. O autor defende que as virtudes e defeitos andam de mãos dadas. Com cerca de 120 minutos, o espetáculo é concebido sob uma perspectiva realista, desenvolvida com base na técnica russa da Fala Cênica.

O que o público vai presenciar é um jogo horizontal no que diz respeito ao peso das personagens. De acordo com as produtoras e atrizes, Lorena Sá Ribeiro e Maria Stela Modena, o texto de Robert Thomas equilibra os conflitos e distribui a atenção do espectador em todos os momentos. O texto foi traduzido para o português pela própria Maria Stela, e supervisionado por Lorena. A horizontalidade na importância das personagens e a forma humana como o autor aborda a complexidade feminina foram fatores que influenciaram as sócias a levar o projeto adiante.

Para Lorena, apesar de toda a trama girar em torno da morte de um personagem masculino, as mulheres é que são as verdadeiras protagonistas.

“Thomas discute o lugar do feminino em nossa sociedade por meio de uma abordagem não óbvia da condição da mulher. Todas têm um caráter humano e natural, sem estereótipos. É uma oportunidade concedida a oito atrizes de vivenciar, numa narrativa sem protagonistas, a composição de oito personagens singulares, bem construídas e desempenhando papéis com importância para a construção dramática da obra”.

SERVIÇO:

Espetáculo: “Oito mulheres”.
Local: Teatro Dulcina.
Endereço: Rua Alcindo Guanabara 17, Centro, Rio de Janeiro.
Telefone: (21) 2240-4879.
Classificação etária: 14 anos.
Temporada: De 12 de novembro a 4 de dezembro de 2016.
Horários: De quarta a sábado, às 19h. Domingos, às 18h.
Duração: 120 minutos.
Ingressos: R$ 30.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *