RJ: Débora Falabella está em cartaz no Oi Futuro Flamengo com ‘Love, love, love’

Mateus Monteiro, Débora Falabella e Rafael Primot integram o elenco de “Love, love, love” – Divulgação/Passarim Comunicação

Depois do sucesso da montagem de “Contrações”, o Grupo 3, de Débora Falabella, monta texto inédito também de Mike Bartlett. “Love, love, love”, que está em cartaz no Oi Futuro Flamengo, conta a história de uma família, de 1967 a 2014, abordando, de maneira crítica, o contexto político e social de sua época e como ela é modificada pelo tempo em que vive.

“O primeiro texto que lemos de Mike Bartlett foi ‘Love, love, love’. Depois de uma imersão de dois anos de leitura de autores contemporâneos, nos conectamos especialmente com esse autor. Ele é contundente com o momento em que vivemos, é profundo e provocador ao mesmo tempo que tem uma escrita clara e objetiva. Para o Grupo 3, o teatro é lugar de revisitar a história e pensar a questão do tempo político e social. E mesmo Mike escrevendo em Londres, cabe muito bem na pesquisa do grupo”, relata o iluminador Gabriel Fontes Paiva, que com Débora e Yara de Novaes integra o Grupo 3.

O trio  ficou bem impressionados com o tema político revelador de como uma geração é definidora da próxima. Mas, na época, a companhia acabou por decidir montar ‘Contrações’. “Era perfeito para o momento do grupo, tratamos o tema de dominação em todas as montagens anteriores. Além disso, ‘Contrações’ foi a peça de maior interlocução direta com o público e decidimos repetir Bartlett, porque percebemos como era importante avançar nesse movimento”, conta Débora.

A escolha foi certa. A peça rendeu sete prêmios ao grupo, que, agora, três anos depois pôde montar ‘Love, love, love’. “O texto conta a história de uma família bem peculiar, mas está tratando do conflito geracional mais atual que poderia ser. É um texto político e também psicológico. É tudo junto como costumam ser as grandes obras”, reflete Yara de Novaes.

Uma obra que, além de descrever uma família com todas as suas idiossincrasias e personalidades, também demonstra como as pessoas são modificadas pelo tempo em que vivem. A ação começa em 1967, na noite da primeira transmissão ao vivo de TV via satélite, em que os Beatles cantaram “All you need is love”. Sandra, bonita e sedutora, recém-ingressada na universidade, marcou um encontro com Henry. Mas ela se interessa por seu irmão mais novo, Kenneth, também de 19 anos e calouro universitário. Em 1990, eles estão confortavelmente em outra realidade – são da classe média, curiosamente negligentes com os dois filhos, em um casamento prestes a ruir. Mas o grande momento é o último ato, em 2011, em uma reunião de família, quando a filha do casal, Rose, que foi uma violinista promissora, agora com 37 anos e muito decepcionada, arremessa sobre eles e sua geração de paz e amor a responsabilidade pelo fracasso da geração dela.

O grupo,  que estreou em 2005 na Casa de Cultura Laura Alvim e já teve seus espetáculos dirigidos por Yara de Novaes, Aderbal Freire Filho e Grace Passô, dessa vez convidou Eric Lenate. Considerado um grande destaque da nova geração de encenadores, Lenate chamou a atenção do trio por dialogar profundamente com os textos que monta e ter sensibilidade aguçada para tratar o elenco, além de ter uma estética de linguagem radical em suas montagens.

SERVIÇO:

Espetáculo: “Love, love, love”.
Local: Oi Futuro Ipanema.
Endereço:  Rua Dois de Dezembro 63, Flamengo, Rio de Janeiro.
Telefone: (21) 3131-3060.
Classificação etária: 14 anos.
Temporada: Até 12 de março de 2017.
Horário: De quinta a domingo, às 20h.
Duração: 110 minutos.
Ingresso: R$ 30.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *