DESDE QUANDO ESCREVO

 

tudo está bem

Que me lembre, desde que era criança. Minhas primeiras histórias eu criei com bonecos recortados de revistas em quadrinhos. E para mim aquilo era apenas a brincadeira de um menino solitário. Mas, aos quatorze anos, quando fui levado pelo meu pai para trabalhar – com a carteira profissional de menor assinada, naquela época era permitido -, mal ganhei meus primeiros salários tratei de conseguir uma máquina de escrever e aí…

Não parei mais até hoje. Escrevi muito antes dos 16 anos, até que nesta idade um romance meu, “Redenção para Job”, foi aceito e publicado por uma editora carioca. Antes dele já havia escrito dois outros. Os originais de um destes do qual eu gostava muito – chamava-se “Um Pálido Silêncio” -,  guardei comigo durante anos e anos… Até que ele se perdeu numa de minhas mudanças.

Agora, em tempo de revisão dos meus arquivos, folheio um exemplar de “Dez Histórias Imorais”, livro que publiquei em 1969, e nele encontro uma preciosidade: um conto escrito por mim em outubro de 1960, quando tinha meros dezesseis anos. Chama-se “O Círculo de Giz”. E foi publicado originalmente no suplemento literário do Jornal do Commercio, do Recife, por encomenda de sua editora, uma pintora e escritora chamada Ladjane Bandeira.

IMG-20170721-WA0012

Lembranças, lembranças.

Releio o conto, quase posso me rever a escrevê-lo, mas não sou eu, é outra pessoa – é um menino. E, meu Deus, agora que estou tão distante dele posso dizer com certo espanto: como escrevia bem aquele menino!

Quando “Redenção para Job” foi publicado a editora me apresentou ao país como “o mais jovem escritor do Brasil” – e eu era isso. Claro, com o passar dos tempos perdi o título, pois envelheci. Mas desde então não apareceu no panorama literário nacional alguém tão jovem. Lembro do que Jorge Amado me disse, num dos nossos poucos encontros, numa viagem do Rio de Janeiro para Santos a bordo de um dos navios de passageiros da Companhia Nacional de Navegação Costeira, se não me engano o “Princesa Leopoldina”:

“Você tem uma vida inteira pela frente, garoto. Aproveite”!

E Jorge, meu querido, se você fosse vivo eu lhe diria agora com grande orgulho:

“Sim, eu aproveitei muito!”

E também escrevi pra caramba. Só no terreno das telenovelas, somando as que perpetrei até agora, escrevi pelo menos 48 mil páginas. Mas também escrevi livros, roteiros, argumentos, peças de teatro, especiais, minisséries, seriados…

E assim devo andar perto das 70  mil páginas. Escrever para mim deixou de ser aquela brincadeira de criança para se tornar uma vocação, uma profissão… E um vício. De tão viciado, não consigo passar um dia sequer sem escrever alguma coisa… Ou fico infeliz, achando que meu dia não foi completo.

Escrever: é o que estou fazendo agora. Assim que tiver tempo vou eu mesmo digitar “O Círculo de Giz”, o conto que aquele menino escreveu no distante outubro de 1960. E vou publicá-lo aqui, como uma prova da minha longa vida de escritor da qual muito me orgulho.

IMG-20170721-WA0011

7 thoughts on “DESDE QUANDO ESCREVO”

  1. Rita Cassiantos says:

    Fiquei pasma quando soube que sua próxima (15a) novela será produzida só em 2019. Vai ser difícil esperar por ela. Desejo muito que ver mais um “realismo-fantástico” na Globo, ainda mais sendo seu, já que depois do Dias Gomes só você soube escrever o formato. Boa sorte. Bom trabalho!

  2. Alan says:

    Olá Aguinaldo, tudo bem?
    Parabéns pelos trabalhos e sucesso nos próximos.
    Quais livros você indicaria para um aspirante a escritor/ roteirista?
    Desde já agradeço!
    Abraços.

  3. Spectro-Méier says:

    Também escrevo desde cedo, mas só que apontando jogo do bicho. E vamos que vamos porque ler, ao que parece, infelizmente caiu em desuso nos dias atuais. Enfim …

    1. Mourão.Lima says:

      Grande,Spectro-Méier!
      Hoje a única coisa que estou lendo é as curvas de uma moça de 87 anos que conheci num bordel.hehehe.Abraços

  4. Severino Ramos Barbosa says:

    Parabéns, Aguinaldo, pela sua carreira brilhante de escritor!

  5. Gilson Moreira says:

    Aguinaldo, vc tem/indica algum curso de roteirista?

    1. Aguinaldo Silva says:

      Querido, só posso recomendar um curso de roteirista. O meu próprio: a Master Class 5 será realizada no começo do ano que vem aqui em São Paulo. Aguarde mais detalhes em breve aqui e no meu Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *