QUE DIABOS VIM FAZER AQUI?

20170725_212523

“O que foi mesmo que você foi fazer em Nova Iorque?”

É o que me pergunta um amigo curioso. E eu respondo: francamente, não sei. O que sei é que estava em Lisboa e, já que teria de atravessar o oceano, resolvi aproveitar e fazer a triangulação: Lisboa-Nova Iorque-São Paulo.

Vejam bem: eu escrevi São Paulo, e não Rio de Janeiro. E isso não foi por acaso, quer dizer alguma coisa. E que coisa seria esta? É que não me sinto mais seguro para andar nas ruas do Rio, já não me sentia, e menos ainda passei a me sentir depois que aquela criança foi baleada, antes mesmo de nascer, dentro da barriga da mãe. Não sei como os, sei lá, três milhões de cariocas podem conviver com notícias desse tipo e continuar a tomar suas cervejas e ir à praia, mas eu me recuso a fazer isto, portanto… Sigo para São Paulo, onde viver é menos arriscado, embora também o seja.

20258061_1170606266376583_6207866300443003381_n

Mas, como dizia, vim para Nova Iorque sem saber porquê. Queria ver Bette Midler em “Hello Dolly” e tive que pagar caro por isso, mas sei que valerá a pena. Também vou ver Patti Lupone e Christine Ebbersole em “War Paint”, um musical sobre a eterna briga entre duas mulheres – Helena Rubinstein e Elizabeth Arden – pela supremacia no mercado de produtos de beleza nos primeiros 70 anos do século passado.

Outros musicais? Há vários em cartaz, mas nenhum deles me fala ao pênis. “Cats”? Pelo amor de Deus! Eu cochilei há vinte anos atrás, quando era um pouco mais jovem… Imaginem agora.

Restaurantes? Tenho o hábito de frequentar sempre os mesmos. Fui ao Sardi´s e, confesso, me decepcionei. A comida, que era apenas honesta, não é mais a mesma. O Benoit by Alain Ducasse continua fresco e de altíssima qualidade. No Porter House  (nas fotos abaixo) servem a melhor carne de Nova Iorque: é o Rubayat de lá. E não tem aquela coisa de só reservar para daqui a um mês, na filial do Shopping at Columbus Circus sempre tem lugar e os garçons, acho que todos filipinos, são de uma gentileza tocante.

20170726_133035

20170727_011735

Passeios? Cada vez mais gosto da área em torno do falecido World Trade Center, onde os americanos pegaram um limão monumental e fizeram uma deliciosa limonada – um dos bairros mais agradáveis de Nova Iorque no meio da qual está um prédio lindíssimo no lugar daqueles caixotes horríveis que eram as torres derrubadas. Para os brasileiros amantes das compras existe lá um shopping chamado Brokfield Place no qual não falta nem mesmo uma Saks 5ª Avenida. Se for lá, faça como eu, não deixe de ir à Epicerie, o templo de todas as gostosuras que fazem da França o melhor país do mundo para se comer.

O que foi mesmo que eu vim fazer em Nova Iorque? Andar, andar e andar, botar mais uma vez minhas pernas que já abalaram Paris à prova e constatar que meus joelhos continuam em forma. Andar é um luxo do qual podemos desfrutar cada vez menos no Brasil – na minha idade, há sempre o risco de ser atacado na primeira esquina por um bando de criaturas alucinadas – e eu aproveito para fazer isso quando estou fora deste nosso país insensato e corrupto.

“Já que não comes, bebes” – dizia aquela minha amiga de meia idade sempre que ia à praia e mergulhava na água. Eu ando, como e bebo, durmo feito uma pedra esquecida no alto de um morro há milênios… E quanto ao resto? Ah, eu podia inventar mil histórias que me colocariam na crista da onda… Mas na verdade, se é daquilo que vocês estão falando, me dá preguiça de tirar a roupa, por isso não tenho saco para fazer mais nada.

Abaixo, a hora do improviso. Gravando o Eu Recomendo 46 (que será publicado aqui e no Youtube amanhã) no celular em pleno quarto de hotel.

20170727_084403

 

7 thoughts on “QUE DIABOS VIM FAZER AQUI?”

  1. ArthurFrancis says:

    “…me fala ao pênis”?!? KKKK, essa eu nunca tinha lido… ótimo artigo, parabéns!!!

  2. Regina says:

    Delicia a sua crônica sobre NY!
    Desfruto de suas palavras como se estivesse me deliciando com as gostosuras da Epicerie.

  3. adriano rafael vaz says:

    Agui, querido, você é um cidadão do mundo!
    Dicas preciosas.
    Abraçaço

  4. Paulo Girão says:

    Aguinaldo é sincero. E, pra mim, mesmo com esse ar triste, é divertido. Eu sou do Rio, mas quase não saio mais à noite…a hora nenhuma! Vou à São Paulo ver shows e musicais. É só.

  5. Ineli Gasparini says:

    Olá Aguinaldo, tudo bem com você?

    Me falaram que você participaria do Persona em Foco no próximo dia 1 de agostô, pensei em participar do programa só para conhecê lo pessoalmente e quem sabe se me permitir tirar uma Self com você para recordação.

    Você poderia me informar se irá ou não ?

    PS. Te adorooo mais que Nutella

    Grata

    Ineli Gaspar início

  6. Anne says:

    Da última vez que fui levei meus 2 filhos e ficamos no Plaza Athenne, que tem uma super localização, pertinho do Central Park, Apple, lojas maravilhosas na 5ª avenida e dá para ir a pé alguns restaurantes legais. Se quiser comer bem eu sugeriria o Standard Grill (ou The Lion (restaurante do Chef John Delucie) ou o Indochine (com seus garçons estilosos). Tem também a opção de tomar café da manhã em locais diferentes, o que me dá muita disposição para bater perna o dia todo. A noite eu prefiro pedir uma sopinha no quarto ou ir ao um teatro, mas tem que ser muito bom senão fico no hotel mesmo

  7. Spectro-Méier says:

    O Trump e o Ronald McDonald são a mesma pessoa ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *