MAIS PENAS DE PAVÃO!

 

Marcílio Barreira postou o seguinte comentário no meu blog:

Aguinaldo, vi dia desses o documentário em vídeo sobre o jorna LAMPIÃO DA ESQUINA. Pensar que em 1978 você e seus companheiros jornalistas eram ativistas da causa gay a ponto de criar o primeiro jornal dedicado à classe… E foram até processados e presos por crime contra a Lei da Imprensa! Não entendo porque os ativistas homossexuais de hoje se mostram tão hostis a você, um pioneiro da causa. Você se sente magoado, ou injustiçado, por causa disso?

Minha resposta:

Meu caro Marcílio, não me sinto magoado nem injustiçado. Não fui ativista gay nos tempos da ditadura com o objetivo de entrar para a história ou ser santificado pelos gays do futuro. Apenas registro que estes casais de meninos e ou meninas que andam de mãos dadas em público e trocam beijos em plena rua hoje em dia não fazem ideia do que é ter que correr da polícia ou ser preso por vadiagem apenas por dar um pouquinho que fosse de pinta. Hoje eles reclamam da falta de liberdade, mas não têm a menor ideia do que isso seja – porque, graças aos pioneiros dos anos de chumbo da ditadura – agora são livres e têm várias entidades, inclusive públicas, e até partidos que os defendem

Quanto a mim, confesso que sinto saudades daquele tempo. Pois viver sob tensão e perigos constantes e escapar deles sempre por um triz,  por mais paradoxal que isso pareça, fazia com que nós – os jovens gays dos anos 60, 70 e 80, nos sentíssemos imbatíveis e poderosos.

Abaixo, festa de Natal na redação do Lampião da Esquina. Por mais incrível que pareça, eu sou aquele de frente, lá no fundo da foto, fazendo biquinho, com o cabelo black power e o copo na mão.

pg108-inspi-03

 

3 thoughts on “MAIS PENAS DE PAVÃO!”

  1. Alexandre Pereira says:

    Mestre obrigado pelas palavras.

  2. Julielson Lima says:

    Hoje me deparei com duas senhoras distintas discutindo dentro do Metrô. Ambas beirando os seus 70 anos. A causa do “arranca rabo” entre as duas adivinhem ? LULA! Uma o defendia piamente e a outra o acusava ferozmente. Eu quase levei umas bolsadas é claro, mas não parava de rir em nenhum instante ! No final de tudo, quando os ânimos estavam no limite da exaltação, tive que saltar na minha estação e perdi o final da história… Droga! Porém, no calor do momento e no ímpeto que sempre tenho de perder a vida mas não perder a piada, soltei a língua sem dó nem piedade e disse as duas senhoras enquanto saltava do metrô a frase que eu replicaria agora a todos os brasileiros se tivesse esse alcance : METADE DE VOCÊS ACHA QUE ESTÁ CERTA E A OUTRA METADE É IGNORANTE! . Pronto! Não digo mais nada…
    FIM!

  3. Julielson Lima says:

    Aguinaldo como você era diferente… O tempo só lhe valoriza rsrsrsr !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *