Julia Carrera

Julia Carrera dá aulas de atuação na Escola Aguinaldo Silva e é administradora do TEATRO O TABLADO, Rio de Janeiro. É atriz, professora e diretora, e atua na área de produção cultural em artes cênicas no Rio de Janeiro e São Paulo desde 1999, assumindo as funções de idealização, elaboração e realização de projetos de teatro, festivais e cursos, enquadramento em leis e editais culturais, captação de recursos, coordenação e execução de produção e controller financeiro.

Em 2017 finaliza o curso de Mestrado em Artes da Cena na Escola de Comunicação da UFRJ, com o projeto Les Éphéméres – A Cena do Cinema Interior e cumpre estágio em docência na graduação de Direção Teatral da UFRJ. É formada em Comunicação Social pela UFRJ, em Interpretação pela CAL (Rio de Janeiro), cursou o Tablado por dez anos, e participou do estágio de 2002 no Théâtre du Soleil (Paris, França), além de diversos cursos livres com mestres como Enrico Buonavera, Roberto Innocente, Ana Achcar, Fabiana Melo e Souza, Serge Nicolai, Olivia Corsini, Maurice Durozier, Bruce Myers, entre outros. Ocupa a função de preparadora de elenco/coach de atores, atuando nas novelas Além do Horizonte, Em Família e no telefilme Didi e o Segredo dos Anjos, além de atender agências de atores. Como professora de teatro ministrou aulas na escola Sarah Dawsey (Rio) por 04 anos, para mais de 700 alunos, além de oficinas em festivais e mostras de teatro. Foi professora assistente no teatro O Tablado entre 1997 e 2003.

Seus principais projetos são DESAPARECIDA (2014/2015), texto e direção de Alessandra Vannucci, inspirada no Diário de Prisão de Judith Malina e no Living Theatre, em cartaz no Centro Cultural da Justiça Federal (RJ); TPM KATRINA (2012), texto e direção de Paulo Coronato, turnê pelo interior de São Paulo e Minas Gerais, Teatro Silvio Romero (São Paulo), Teatro Vannucci/ Shopping da Gávea (RJ), dividindo o palco com Fernando Caruso (Coordenação de Produção e Interpretação); THÉÂTRE DU SOLEIL NO RIO DE JANEIRO (2011), integrante da equipe de produção da turnê no Rio de Janeiro, coordenando as áreas de comunicação, vendas, administração da temporada e produção geral das Oficinas e Palestras ministradas por Ariane Mnouchkine e atores da companhia; CYRANO DE BERGERAC (2011) de Edmond Rostand e direção de João Fonseca, nos CCBB Rio, CCBB Brasília e CCBB São Paulo (Coordenação de Produção e Interpretação); TEMPO DE COMÉDIA (2010), de Sir Alan Ayckbourn e direção de Eliana Fonseca. Estreou no Teatro Popular do Sesi em São Paulo e cumpriu temporada no CCBB DF, em Campinas, Teatro Cleyde Yáconis (SP) e Teatro Ginástico (RJ), contabilizou 42.000 espectadores em 10 meses de temporada (Coordenação de Produção e Interpretação) e OVO FRITO (2005-2008) de Fernando Bonassi e direção Moacir Chaves, Teatro Ziembinsky, Teatro Laura Alvim, Teatro Maria Clara Machado, Festival de Inverno Sesc, Macaé, Angra dos Reis, Campos e Festival de Teatro de Porto Alegre 2007 (Coordenação de Produção e Interpretação) .